Jornal EXTRA. 23 de outubro de 2000. 'Vampiros' em Teresópolis

| Matéria Comentada | Transcritos: 1 - 2 - 3 - 4 |

Polícia investiga uma seita de jovens que estaria por trás do assassinato de duas estudantes.
Paulo Carvalho

Rituais satânicos, culto ao vampirismo e um possível envolvimento de uma seita com as mortes de duas jovens e o desaparecimento de outros dois, ocorridos este mês, em Teresópolis, fazem a polícia acreditar que está no caminho certo para desvendar o grande mistério da cidade. Na semana passada, detetives da 110ª DP (Teresópolis) apreenderam farto material de vampirismo e satanismo na residência de um rapaz que diz ser o Vampiro, um dos mestres do grupo.
Foram encontrados livros com devoção ao diabo, outros que cultuariam o sacrifício humano, além de máscaras de terror e manual de um jogo de RPG (um jogo elogiado por educadores, mas que estaria, neste caso específico, sendo desvirtuado). A seita reúne muitos jovens, que se vestem de preto e só saem à noite.
De acordo com o detetive Alex Martins, chefe do Setor de Investigações, a relação do grupo com o sumiço de adolescentes em Teresópolis estaria no fato de Rodrigo Victorino Nascimento, de 16 anos, e Liliana Azevedo Domingues, de 17, terem demonstrado vontade de ingressar na seita pouco antes de desaparecerem.
Vampiro prestou depoimento de seis horas. De acordo com o detetive, ele faz jus à alcunha: dorme numa cama de madeira pregada na parede, a 1m do chão.
Nos casarões, bebidas e uso de drogas
Testemunhas contam que as reuniões do grupo de jovens, a maioria de classe média alta, são realizadas em três casarões abandonados no bairro Pimenteiras e até mesmo no cemitério da cidade. Todos ficam vestidos de preto e gritam muito durante os encontros. Os casarões não possuem luzes e são todos pichados com frases de terror.
Uma lareira em cada um deles é usada para acender fogueiras. Nos encontros, os jovens também aproveitam para montar um jogo de RPG. Criado nos Estados Unidos, ele tem como finalidade fazer com que o participante represente um personagem, quase sempre relacionado a monstros e vampiros.
Vampiro contou aos policiais que o grupo se reúne todos os dias. Os pontos de concentração são sempre as praças da cidade e adegas.
A reportagem do EXTRA conseguiu falar com uma integrante do grupo. Ela admite que os jovens consomem drogas e bebem muito durante as reuniões.

FRASES

Percorrendo os dois andares de cada casarão que os jovens freqüentam é possível se deparar com frases de terror pichadas nas paredes e até mesmo nos tetos. Os casarões não possuem portas ou janelas.

¨

"Pra que o medo? Se o futuro é a morte?"

¨

"Eu preciso sempre, muito, de sangue, sangue, sangue."

¨

"Não entre. Você quer entrar, então venha, mas com sangue."

¨

"Não estamos preocupados com o que possa acontecer aqui dentro.
Queremos apenas diversão, bebida e muita liberdade."

¨

"Sangue foi e sempre será o meu sustento.
Minha fonte de vida.
Quero sangue.
Nada vai me fazer parar enquanto não descobrir como adquirir grande quantidade."

Jovem revela os segredos

O consumo de drogas, os hábitos e costumes do grupo que estaria sendo apontado como uma seita macabra foram revelados à equipe do EXTRA por um de seus membros. L. admitiu que maconha e cocaína sempre foram liberados com o "pessoal de preto". É em frente a igreja de Santa Teresa, de estilo gótico que eles costumam se encontrar.
Do local, a turma parte para bares da cidade para escutar música. E têm preferência por heavy metal.
L. disse que não há problemas para se freqüentar grupos góticos, como eles se denominam.
Basta apenas que o visitante aceite todas as "doideiras" do grupo e não tenha preconceitos. Beber, muito, é uma outra grande característica do pessoal. Encontrada poucas horas depois do primeiro contato, L. já estava alcoolizada e com sinais de que havia consumido drogas.

População está amedrontada

Os fortes indícios de que existe uma seita em Teresópolis, que estaria aliciando jovens para serem integrados ao grupo, já provoca pânico na população. A comissária da Vara da Infância e Adolescência do Forum da cidade, Sônia Ramos, madrasta de Fernanda, uma das jovens assassinadas, acredita que Rodrigo e Liliana não saíram de casa porque quiseram.
— A polícia não está querendo juntar os casos, pelo menos por enquanto, mesmo porque não existem provas. Mas eu e toda a população de Teresópolis temos certeza de que a seita existe e é muito grande — diz Sônia.
A polícia prefere não confirmar a existência da seita. O detetive Alex Martins disse que vai estudar e analisar todos os livros apreendidos na casa de Vampiro, para saber do conteúdo.
— Eu confesso que nunca tinha visto material dessa espécie — admitiu Martins.

AS VÍTIMAS

+ IARA (Torturada e estrangulada)
A jovem saiu do colégio, na Escola Estadual Edmundo Bittencourt, no dia 4 de outubro. Desde então ela nunca mais foi vista. Seu corpo foi encontrado com marcas de espancamento e estrangulamento na Vila Muqui.
+ FERNANDA (Assassinada no Vale da Lua)
Estudava na mesma escola de Iara. Ela ia para a aula no dia 11 de outubro, quando também desapareceu de forma misteriosa. Enforcada com o cadarço do tênis, a exemplo de outra menina, foi encontrada no Vale da Lua, dias depois.
+ RODRIGO (Teria fugido para São Paulo)
O rapaz teria deixado um bilhete para a mãe, dizendo que sairia de casa. Amigos comentaram que ele disse que pretendia ir para São Paulo com a namorada. A polícia investiga informações de que ele queria entrar para a seita.
+ LILIANA (Ainda está desaparecida)
Estudante da Escola Edmundo Bittencourt, ela fugiu junto com Rodrigo e também estaria indo para São Paulo. A família, porém, desconhecia o fato. Diferente dele, ela não falou ou escreveu nada.

| Matéria Comentada | Transcritos: 1 - 2 - 3 - 4 |