Jornal EXTRA. 24 de outubro de 2000.
Suspeito é preso na Serra

| Matéria Comentada | Transcritos: 1 - 2 - 3 - 4 |

Polícia encontra homem acusado de estuprar e ameaçar de morte uma adolescente que está sumida
Paulo Carvalho
Os "vampiros" de Teresópolis resolveram se esconder da polícia. Enquanto detetives da 110A. DP (Teresópolis) tentam localizar o grupo de jovens que se veste com roupas e capas pretas e estariam sendo investigados pelas mortes de duas estudantes e pelo desaparecimento de outros dois jovens, outras linhas de investigação já começaram a ser levadas em conta. Ontem, um homem foi preso como suspeito de ter estuprado uma menina de 16 anos, que é a terceira pessoa acusada de estar desaparecida no município.
De acordo com o detetive Alex Martins, chefe do Setor de Investigações da 110a. DP, a vítima antes de desaparecer teria feito um registro de ocorrência, onde contava ter sido estuprada e ameaçada de morte pelo suspeito.
Ontem pela manhã, equipes da Delegacia de Homicídios, sob o comando do delegado Paulo Passos, estiveram em Teresópolis. Eles auxiliarão o delegado José Serra nas investigações. Os policiais foram nos casarões que vinham sendo usados pelo grupo de jovens. O delegado Paulo Passos não descartou a hipótese do grupo que cultua o satanismo na cidade ter sido responsável pela morte das duas jovens.
Alguns rapazes, que também fariam parte do mesmo grupo de Vampiro, levado para prestar depoimento na Sexta-feira passada, esteve na delegacia no final de semana.
Na DP, acusado negou os crimes
O suspeito foi preso ontem à tarde em casa, no bairro Pimentel. Ele negou qualquer tipo de envolvimento na morte de Fernanda e Iara, encontradas com sinais de espancamento e violência na Vila Muqui e no Vale da Morte, respectivamente. O homem contou aos policiais que teria saído com a menor que o acusou, e que, na ocasião, ela alegou que precisava de dinheiro. Depois, caiu em contradição ao dizer que apenas deu uma carona para a vítima.
No depoimento feito há quase dez dias, E. (a menor violentada) disse que depois de ter sido estuprada pelo suspeito na localidade conhecida como Ponte Branca, teria sido ameaçada de morte pelo suspeito, com um cordão no pescoço.
Foi exatamente esse ponto do depoimento que chamou a atenção dos policiais. Fernanda e Iara foram mortas após terem sido estranguladas com o cadarço dos próprios tênis. Até o fim da tarde de ontem, o suspeito não havia prestado depoimento.
No bairro onde mora, os moradores preferiram defendê-lo, dizendo que é trabalhador.
O detetive Alex, entretanto, disse que logo que foi transferido à 11A. DP, chegou a deter o rapaz acusado, porque ele conduzia uma moto sem placas.
— Ele é apenas um suspeito. É mais um ponto a ser levado em conta — disse.

| Matéria Comentada | Transcritos: 1 - 2 - 3 - 4 |